Ir para o conteúdo
ou

Contato

Telefone

  • +55 (61) 3107-8901

Contatos

Profa Carla Rocha - http://fga.unb.br/carla.rocha/

Prof. Mateus Miranda - http://fga.unb.br/mateus.miranda/

Endereço

Universidade de Brasília - Faculdade Gama,
Área Especial de Indústria Projeção A Brasília
CEP: 72.444-240
Bairro: Gama - Setor Leste

 

 

LART

Tela cheia

As descobertas científicas e a criação artística: da multimídia para a realidade virtual

28 de Outubro de 2013, 21:53 , por Carla Rocha - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1020 vezes
Licenciado sob CC (by)

A Ciberarte, marcada pela interatividade, insere no contexto artístico o uso de tecnologias computadorizadas, resultantes das descobertas da microinformática e da telemática para gerar ambientes que usam a capacidade dos artistas em pensar a expressividade do ciberespaço, espaço de computadores pessoais ou conectados em redes. Na arte interativa, o desenvolvimento tecnológico através de hardware, software, interfaces e redes de telecomunicação interessa aos artistas na medida em que suas descobertas alteram o campo de percepção. Pesquisas recentes em sistemas interativos, telemática, inteligência artificial, realidade virtual, vida artificial, robótica, permitem a conectividade, a interatividade e a imersão através de comportamentos que experimentam a complexidade de ambientes virtuais, a ubiqüidade de redes planetárias, as comunidades virtuais, com encontros em mundos virtuais interativos. Ambientes que se auto-organizam são construídos tomando como base a capacidade adaptativa de redes neurais artificiais que evoluem em suas respostas, entre outras situações antes não oportunizadas pela arte e que hoje contam com um vasto circuito de produção e discussão. Pode-se agir remotamente acoplando-se a corpos robóticos6, solicitar a agentes para que executem tarefas em ambientes computacionais, desenvolver ambientes com vida artificial entre outras situações que se constituem em novas formas de vida. Os avanços científicos das tecnologias interativas se somam às tecnologias imersivas nos permitem viver em mundos tecnologizados, mergulhando em ambientes virtuais de alto apelo estético para o corpo. Essas tecnologias se constituem em sistemas complexos capazes de propiciar a exploração de uma arte comportamental, com respostas em tempo real para o participante da experiência artística, em situações que mesclam o real e o virtual tecnológico. Todas estas situações dependem de conexões com processos de captura, processamento e comunicação de sinais que propiciam experiências de sentir, ou seja, de natureza estética, expandidas pelas tecnologias. Toda arte interativa é regida por computadores que, na qualidade de tecnologia numérica, abrem o acesso aos dados guardados nas memórias invisíveis de redes de silício. Por outro lado, são as interfaces que nos conectam e permitem enviar os dados, ou seja, são os dispositivos de hardware que levam os inputs, colocando os dados para dentro computador.

 

Voltar para CAVE